Quero encontrar ...

Carregando...

sábado, agosto 29, 2015

Um Lápis

Você sabe como fazer .... um .... lápis?

quarta-feira, março 05, 2014

Quando deus encontra a filosofia ....

Uma nota interessante ao alguns dos comentários dos leitores à aula do Prof. Clóvis de Barros Filho, "Vídeo Aula: Negar a fórmula e viver a vida",em https://www.youtube.com/watch?v=uy7iw-BoCNE&t=2749, é a presença de deus como um agente de destruição das pessoas que outras ... pessoas ... não gostam ... por causa do mesmo deus.

Eu queria ser dono de um deus assim, "bondoso" e "humanitário" que já "parte para a porrada" por causa de alguns palavrões, muito bem colocados, diga-se de passagem.

Concordo com o uso de palavrões? não, mas é aceitável, afinal, o tal deus mandou um crente matar o próprio filho ... por ele. ....

Quanto ao Nietzsche, ainda não li e estou conhecendo suas ideias por intermédio desta palestra. Mas certamente vou ler.

Creio que o professor foi muito feliz nos exemplos cotidianos e muito esclarecedor do pensamento do filósofo.

Penso que as pessoas que acreditem em deuses deveriam poupar as demais de participar de qualquer coisa fora da sua própria liturgia, pois não terá, nunca, a intenção de PARTICIPAR, pois quer que sua ideologia mística seja imposta e têm as reações acima.


Muito pouco urbanas, mas muito católicas ... como sempre. 

Recomendo a elas outras aulas: http://www.youtube.com/watch?v=ZhI17Ky3fNg, um ensaio sobre religião e como as pessoas são religiosas à sua própria maneira, não à maneira de seus próprios deuses.


E http://www.youtube.com/watch?v=a36_CwzA0bk, para ter uma visão antropológica sobre seus deuses, dentre outros temas.






































segunda-feira, agosto 12, 2013

Mundo Analista: O Problema do Sofrimento

Mundo Analista: O Problema do Sofrimento

Mundo Analista: A incoerência da moral em um mundo ateísta

Mundo Analista: A incoerência da moral em um mundo ateísta: A questão é "vendida" na propositura. Se você pergunta se "acredita em deus", então, ipsu facto, deus JÁ existe. E é aí que está o problema. Creio que o termo "ateu" não significa "não acreditar em deus", mas significa "não ter deus", ou "sem deus", o que é totalmente diferente. Não existe, nunca existiu e nunca vai existir um deus. Qualquer deus. Logo, se você acredita, é uma questão PRIVADA, de foro íntimo. Ninguém tem nada com isto e você não está autorizado - por seu deus - a impor ou emitir um juízo de valor a priori sobre alguém que não tenha a crença. As igrejas são negócios como quaisquer outros, rodam uma fortuna e não pagam impostos. Isto é ASSALTO às pessoas que não fazem parte da crença destas igrejas. Cada crente deve pagar as contas de sua crença e ninguém deve pagar por eles. E se você tem um deus, fique com ele, não venda, alugue, anuncie. Respeite quem não tem deuses.

terça-feira, abril 02, 2013

O Discurso Do Menos Ruim

O Discurso do Menos Ruim


Votar contra um, por causa de um outro um, é pouco e não produz nada a favor do TEU candidato, o único "um" que DEVERIA te interessar.

Proponho o VOTO NULO contra TODOS os que estão lá, afinal, não representam a maioria da população brasileira.

O discurso do "menos ruim" faz de você, e de mim, outro "menos ruim", isto é, suficientemente ruim para eleger OUTRO ruim.

Ao ANULAR O SEU DISCURSO você fortalece o discurso de sua oposição. não dissemina SUAS idéias e MATA a opção de poder que poderia advir de sua militância política.

A democracia é o lugar da diversidade política e esta diversidade é a vida da teia política da democracia, é como a cadeia trófica na natureza: se você quebrar um elo, mata todo mundo.
Não se suicide, faça seu discurso, mostre às pessoas que não são todos ruins.


Há mais de 120 anos o povo brasileiro vota nos PIORES PATRÕES e nos PIORES EMPREGADOS!

Está na hora de VOTAR NOS MELHORES CANDIDATOS!


NÃO SOU RUIM.


Meu candidato não é candidato e não vou votar na minha oposição.

A democracia se caracteriza pela eleição da POSIÇÃO das pessoas, não de sua oposição.

É burrice fazer campanha por um menos ruim e votar na sua própria oposição, pois você não faz a campanha de seu candidato, mesmo que não possa concorrer, e ainda por cima valida a campanha de candidaturas que são CONTRA VOCÊ E SUAS IDÉIAS.

Não vote no menos ruim.


Faça campanha pelo seu candidato mesmo que não possa concorrer, pois são suas idéias que você dissemina, não as idéias de sua oposição.

VOTA NULO!


Para conversar comigo ligue para Federalistas@Skype.com.

Estou - geralmente - na rede em meu servidor de IRC no endereço https://client00.chat.mibbit.com/, onde você pode escolher um APELIDO (nick name) e entrar no CANAL (channel) #Federalistas, ou no skype em EquipeLinux@skype.com.

quinta-feira, março 28, 2013

O PSDB não é mais uma opção: êles também não vêem os mercados


30 de Junho de 2011 às 16:58

Em minha opinião - salvo melhor juízo - creio que a social-democracia esgotou-se no Plano Diretor de Reforma do Estado, de 1995, de Bresser Pereira, e não fêz nada para reformar o sistema financeiro e produtivo para sustentar os Mercados.

Com a reforma do Estado - que é tudo o que os socialistas e sociais-democratas conseguem ver - os Mercados foram esquecidos na ação política do Govêrno e tiveram seus valôres inflacionados pelos custos da reforma do Estado sem os investimentos correspondentes e estão desalinhados com relação aos seus valôres relativos.

Com a taxa de juros estratosférica para garantir o alinhamento dos prêços de produtos e serviços - o que o Mercado teria feito com muito maior eficiência e a custos menores - os Mercados estão desalinhados em relação aos seus valôres relativos e existem Mercados que sofrem com uma taxa de juros alta e outros que acumulam riqueza maior do que seria recomendado pela saúde da economia.

Esta diferença desalinha os Mercados e permite a super-acumulação de uns Mercados e a desvalorização de outros.

Isto é creditado aos capitalistas, que por sua vez não podem fazer nada porque o Govêrno promove a intervenção na economia e gera uma deseconomia em escala, obrigando os prêços a se alinharem por cima - em vista da taxa de juros elevada - e não permitem o investimento em ampliação dos Mercados, o que seria perigoso a uma taxa de juros alta que pode aumentar ainda mais a qualquer momento e matar qualquer investimento feito.

Assim, o Estado Brasileiro fica cada vez mais caro, cada vez menos para investir e cada vez maior pressão sôbre o consumo, que não tem o investimento necessário.

É o círculo vicioso do empobrecimento com altas taxas de crédito e de dependência econômica e tecnológica dos países quaternários.

É o que dá trabalhador querer fazer o trabalho do patrão.

Embora muito do que o PSDB fêz era certo, não era o suficiente, e como os Nacionais-socialistas do PT, os sociais-democratas também não conseguem ver os Mercados e assim, realimentam o círculo vicioso da deseconomia em escala, com as melhores das intenções de ajudar, e aumentando o fôsso que se dispuseram a tapar.

O casamento é industrialista?

Eu não quero propor a poligamia, apenas levanto a questão que as alterações que as sociedades modernas estão sofrendo foram obtidas após ação pró-ativa persistente de grupos organizados que buscam na quebra das regras sociais a quebra da própria sociedade, baseada em propriedade privada e núcleo familiar.

Uma visão revolucionária não aceita a célula familiar ou a propriedade privada e essa serve àquela.

A visão de mundo dos fundamentalistas religiosos - de qualquer crença - se adequa à visão marxista e revolucionária de destruição completa da sociedade "injusta" e "infiel" e a morte de todos os que professam o "capitalismo" e o "cristianismo" é um ponto de honra para os "crentes" proletaristas e muçulmanos.

O que está em jôgo não é um direito de alguém, pois não está em debate uma legislação que reconheça o direito privado de alguém fazer o que quiser, mas vincular o direito privado à ação do Estado que patroniza os direitos individuais "regluamentando-os" de modo a "reconhecer direitos humanos".

Considero que cada pessoa tenha o direito de fazer o que quiser sem ferir o direito de outro ao fazê-lo e que o Estado não deve reconhecer tais direitos, apenas proteger a sociedade para que tais direitos sejam gozados individualmente.

O que deve ser regulamentado é como recompor uma situação em que um direito de alguém interfere no direito de outrem.

Direitos sociais, como a previdência pública, não devem ser objeto de legislação com fim de constranger a liberdade individual. Se uma pessoa declarar que outra depende dela e esta condição é necessária e suficiente para a previdência reconhecer a dependência, então não há o que regulamentar.

Ao Estado cabe reconhecer o direito de cada um de prestar tal declaração e a Previdência aceitar.

Não existe relação homoafetiva assim como não existe relação heteroafetiva porque não é o gênero que propõe a relação de afetividade, é apenas mais um mantra que os comunistas usam para desviar o assunto do verdadeiro motivo da reivindicação: destruir as bases e o tecido social de uma sociedade baseada em um conceito religioso de família e na propriedade privada.

O TST declarar que um empregado usando uniforme de uma empresa onde trabalhe é motivo de processos por perdas e danos morais faz parte da mesma ação pró-ativa que visa a destruir as bases da sociedade baseada em iniciativa e propriedade privadas.

A questão é sutilmente posta como sendo de direitos humanos mas não é, é de propriedade, direitos sociais e decisões individuais que não devem (veriam) interferir na condução do Estado.

quinta-feira, fevereiro 07, 2013

Transporte Público - as empresas, o governo e os "trabalhadores"




As empresas são remuneradas em Contrato Administrativo como CONCESSIONÁRIAS de Serviço Público (não é Serviço Público, é Serviço PARA o público) e a ESTABILIDADE FINANCEIRA DO CONTRATO DEVE SER MANTIDA POR LEI.

Aumenta os custos - salários (greves) ou preços de insumos - a Lei determina que o contrato seja mantido no nível da contratação.

A politicalha que está por trás não é a que aparece nas greves, é a que não aparece nas eleições: quem você pensa que paga as campanhas dos "trabalhadores que defendem os direitos da população"?

Por isto transporte público é assunto PRIVADÍSSIMO dos políticos "trabalhadores" e dos empresários de transporte.

E por isto você vê "trabalhador" fazer "carreira política" à custa dos transportes.

O mesmo vale para um setor essencial e que você não vê e do qual não tem a menor informação: LOGÍSTICA.

Quem você pensa que põe o pão e o café na sua mesa? Você? A Padaria?


Arrôba Muuuu

Não existe IMPEACHMENT na legislação brasileira, nem para o Executivo, nem para o Legislativo nem para o Judiciário e nem para Clube de Futebol.

Isto é COLONIZAÇÃO made in USA, que exporta a cultura jurídica, popular, musical, enfim, TODA A CULTURA AMERICANA para o mundo todo.

Eles fazem isto PORQUE SÃO MUITO BONS e os importadores são MUITO RUINS: apenas isto.

Não existe emeiu, existe carta, não existe saite, existe sítio ... não existe ARRÔBA em correio eletrônico - arrôba é pêso de boi em pé - existe "EM" (@=EM), e você, na internet, é VOCE EM Computador.com - VOCE@Computador.com.

Se não temos a capacidade de sequer nos comunicarmos em nosso próprio idioma porque diabos teríamos a capacidade de sermos uma NAÇÃO, um POVO?

Somos o Admirável Gado Novo, mugindo palavras de desordem política e econômica NasRuas em eternas e intermináveis e infrutíferas PALHASSEATAS bovinizando a política e recitando flácidas tertúlias para dormitar bovinos ao invés de princípios políticos.

Esqueçam o Renan, vocês não vão eleger ninguém melhor porque não vão fazer um partido político para vocês e porque vocês não vão concorrer, assim, relaxem e gozem ...